27/07/2010 - Então não é que toda a gente à minha volta tem um blogue!! Vou ensaiar um, apesar dos meus fracos dotes informáticos...
Aqui vai: Este blogue é dedicado ao meu passatempo: a coleção de dedais. Acho-os peças lindas!!
Através deles, vou me recordando das minhas belas viagens pelo mundo fora, das trocas e dos queridos Amigos que mos foram oferecendo.


Seguidores

domingo, 10 de dezembro de 2017

DA VIAGEM DA PAULA



No fim de semana passado fui jantar uma massada de línguas de bacalhau a casa dos meus amigos Paula e JP. Fizeram um périplo pela Europa e este foi um dos dedais que me ofereceram (Bratislava na Eslováquia). 
Obrigada! É lindo!

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

PELA CAPITAL



Também fui dar uma voltinha por Lisboa. Aproveitei para visitar o novo Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia.








 
 

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

PELO ESTORIL



No verão estive no Estoril. Aproveitei para fazer praia.
Aqui ficam os meus "olhares".









 

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

SEVILHA



A minha amiga Fernanda foi a Sevilha e ofereceu-me este dedal.
Muito obrigada!

sábado, 11 de novembro de 2017

A MULHER NAZARENA



Este é o outro dedal que trouxe da Nazaré com o traje típico feminino.

Aqui fica mais um poema do Laerte (blogue Silo Lírico) dedicado ao meu dedal da Nazaré.






  
Sempre venho ao teu espaço
Ver dedais, mas Nazaré
Trouxe-me à mente o que é
Paixão pelo que eu faço.

E Nazaré tem um traço
Da minha crença de fé
Na santa, na praia, e até
Nas viúvas e o percalço

Que o mar é ao pescador,
Às esposas e ao amor
Que elas devotam ao esposo.

Já compus fado em louvor
Às viúvas e ao valor
Que dão ao luto extremoso.

 

sábado, 4 de novembro de 2017

NA NAZARÉ



Este verão fui dar uma volta à praia da Nazaré com a minha irmã e trouxe esta recordação.









 
 

domingo, 29 de outubro de 2017

AZUL



Continuação dos dedais com o design de azulejos, agora com um poema de Laerte (blogue Silo Lírico).











Lindos dedais de azulejos,
Que enfeitando, se vê
Como brilho de um buquê,
Acalmar os desejos

Antigos sem medo ou pejos
De ainda estar à mercê
Dos costumes que se crê
Ser da tradição, sobejos.

Assim eu sinto o azul
Como um terno vento sul
Que soprando arrefece.

Minha memória de então
Que creio não viver, não!...
Mas se parece uma prece.


Grande abraço. Laerte.

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

domingo, 15 de outubro de 2017

DA AMIGA AMÉLIA



A amiga Amélia ofereceu-me uma coleção de dedais representativos dos nossos azulejos. Aqui ficam os dois primeiros.
Muito obrigada!

domingo, 8 de outubro de 2017

OUTRO DESIGN




A minha prima Teresa foi esquiar a Andorra e achou piada a essa peça. Olhando por baixo, pareceria um dedal. Obrigada!






domingo, 1 de outubro de 2017

DE UMA ROLHA



Em Alcácer do Sal encontrei este dedal artesanal trabalhado a partir de uma rolha.










Deixo aqui um belíssimo poema que o poeta Laerte (Silo Lírico) criou a partir do dedal que postei na semana passada. Fiquei encantada. Muito obrigada!

Lindo escudo do dedal
Dado pela tua amiga!
Porém é bom que se diga
Que é de Vila Real.

É sítio de Portugal
De uma província antiga
Cidade demais amiga
De povo bom em geral.

Para o colecionador
Cada unidade é penhor
De fé no gosto que faz.

Parabéns pelo valor
Dessa cultura com amor
E de empenho perspicaz.

                                                Grande abraço. Laerte.

sábado, 23 de setembro de 2017

ESCUDO DE VILA REAL



A minha antiga coordenadora esteve cá em casa e ofereceu-me este lindo dedal com o escudo de Vila Real. 
Obrigada, Fernanda, por se lembrar de mim durante os seus passeios.

sábado, 16 de setembro de 2017

EM ALCÁCER DO SAL



Ao irmos para o Algarve, parámos em Alcácer do Sal para almoçar e dar por lá um passeio.










 

domingo, 10 de setembro de 2017

DEDAL DE CÓRDOBA



A minha amiga Maria João ofereceu-me este bonito dedal que veio enriquecer a minha coleção.
Muito obrigada!

terça-feira, 5 de setembro de 2017

UM PAR SIMPÁTICO



A minha prima Lurditas deparou-se com este casalinho durante as suas férias em Espanha e não resistiu em trazer-mos.
Obrigada!

sábado, 26 de agosto de 2017

EM MIRANDELA


Fui passar uns dias a casa de uns primos em Mirandela e trouxe, para além das famosas alheiras e dos figos, este dedal para acompanhar os outros dessa linda terra.





 
              Aqui estamos nós na aldeia de Romeu onde degustámos umas iguarias transmontanas.

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

EM VILAMOURA



Fui dar uma voltinha à marina de Vilamoura e encontrei o meu primeiro dedal de lá.












segunda-feira, 14 de agosto de 2017

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

A MINHA VITRINE


1ª e 2ª prateleiras: dedais da Ásia
3º, 4ª e 5ª: Europa
6ª, 7ª e 8ª: Portugal
9ª e 10ª: América
11ª, 12ª 13ª e 14ª: Espanha
15ª: África
16ª: Portugal
 





















domingo, 23 de julho de 2017

DEDAIS E CALÇADA PORTUGUESA



 Uns dedais representativos das calçadas portuguesas, um dos símbolos mais icónicos de Portugal. 
A calçada portuguesa resulta do calcetamento de passeios, praças com pedras de formato irregular, geralmente em calcário branco e negro.

sexta-feira, 7 de julho de 2017

sexta-feira, 30 de junho de 2017

sábado, 24 de junho de 2017

VAI UMA CERVEJINHA?


Aqui fica mais um bonito dedal oferecido pela amiga Amélia.
Guinness é uma marca de cerveja irlandesa criada em 1759, sendo esta a 6ª cervejaria do mundo. O seu símbolo é a harpa irlandesa.

sexta-feira, 16 de junho de 2017

MAIS UM DA MADEIRA

Já que tenho estado com dedais madeirenses, aproveito para mostrar este dedal oferecido pela amiga Amélia com as casas de Santana. Estas habitações típicas dessa região são vestígios de construções primitivas feitas de madeira (abundante na ilha) e da palha vinda do cultivo de cereais como o trigo e o centeio. Por acaso, quando estive na Madeira, fiquei hospedada em Santana.
Muito obrigada, Amélia. 

sexta-feira, 9 de junho de 2017

sexta-feira, 2 de junho de 2017

sexta-feira, 26 de maio de 2017

OS MEUS 1os DA ÍNDIA



Quando uma colega minha me disse que ia à Índia na Páscoa, aproveitei logo para lhe encomendar uns dedais, já que não tinha nenhum de lá. 
Encontrou estes dois, fiquei radiante! Ainda teve a gentileza de me oferecer uma caneta.